terça-feira, 2 de agosto de 2011

Aplasia de Medula Óssea

Bom dia...ao falarmos sobre as plaquetopenias, deixamos em aberto as duas possibilidades mais graves que a ela estão associadas. Em ambas a suspeita vem da presença de outra citopenia no hemograma (anemia, ou leucopenia, ou anemia + leucopenia). É claro que uma plaquetopenia secundária a infecções, medicações ou outras patologias tambem podem cursar com estas alterações, mas a presença delas nos obriga a investigar o caso de forma mais produnda e rápida. Estas duas possibilidades são as patologias mais agressivas na hematologia, que são a aplasia de medula óssea e a leucemia. Elas são, vulgarmente falando, uma o contrário da outra. Se na leucemia há a expansão de um clone dentro da medula que não permite a produção das células normais, na aplasia a produção é reduzida ou simplesmente eliminada! Por isto, ao contrário de muitos pacientes que ficam "aliviados" por não ter uma leucemia e sim "somente" uma aplasia, nós hematologistas ficamos até mais apreensivos. Logicamente este grau de apreensão vem do grau da aplasia, e se numa leucemia hoje temos o tratamento quimioterápico (com grande sucesso) e o transplante de medula óssea (TMO), na aplasia o tratamento imunosupressor não é assim tão eficaz, agindo quase como um paliativo para controlar a doença, e aqui o TMO passa a ser ainda mais importante. Entre estas duas patologias, há doenças intermediárias como a Síndrome Mielo-Displásica (já discutida anteriormente) e a Hemoglobinúria Paroxística Noturna. Na aplasia de medula (ou anemia plástica) os sintomas decorrem das três citopenias: anemia (pela queda de glóbulos vermelhos), infecções de repetição (pela queda de glóbulos brancos) e hemorragias (pela plaquetopenia), quadro semelhante aos dias pós-quimioterapia de um tratamento oncológico, já que as drogas induzem a uma aplasia momentânea. Entre as causas da aplasia destacam-se as drogas, substâncias químicas (como benzeno e inseticidas) e algumas infecções (principalmente virais). Há uma aplasia genética bem conhecida que é a Anemia de Fanconi, hoje tratada com sucesso com o TMO. No próximo encontro, falaremos mais sobre o assunto, um abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário